sábado, 21 de julho de 2012

SEM IDENTIDADE





"Desculpa ai, moça ou moço, que entende de letras ou não. Eu não sei me definir, não sei dizer se escrevo ou vivo de falácias.

Desculpa essa linguagem assim, meio rebuscada, que, as vezes, permite que uns coloquialismos se intrometam nas minhas letras. Mas é que eu não tenho um estilo certo; não sei nem se, pra essa coisa dita literatura, eu seria considerado alguma coisa...


Eu sei que escrevo, apenas isso. Nem sempre o que me dita o coração. Nem sempre o que a razão grita. Por vezes, vejo saltar dos meus cadernos alguns monstros, algumas maldades; outras vezes, uns laivos de realidade dura e crua como a vida. E, de repente, surge em algum canto, um cantinho bem lá no fim do papel, um poema, assim, mais bonitinho, que parece querer mostrar que ainda tem uma pessoa dentro de mim.


Desculpem aí, caríssimos leitores, essa falta de estilo, essa falta de sentimentos que abrem sorrisos, ou de sorrisos que aparecem onde não deveriam. Desculpem a falta de habitação com que minhas letras foram desgraçadas, ou agraciadas... Desculpem até por aquilo que não escrevo, mas os mais atentos percebem, nas mensagens subliminares dos textos migratórios que exponho em qualquer lugar onde recebo permissão.


Desculpe, moça ou moço: sou duro, sou macio, sou frio, sou emotivo, realidade, ficção, razão ou emoção.


Sou apenas alguém que pensa ser escritor, mas que não tem estilo, nem pátria, nem cidade, casa e muito menos identidade.


Sou um dos proscritos, quem sabe até mesmo dos próprios escritos."


*Foto obtida gratuitamente no Google Imagens.

3 comentários:

Gil Façanha disse...

Tão bom encontrar blogs de pessoas com conteúdo. Amei esse texto, e me identifiquei totalmente. Agora te seguindo. Até breve.

adriane disse...

Obrigada Gil Façanha.
Seja bem vinda a este lugar que, as vezes, nem eu sei definir.
Abraços
Adriane Bueno

Graça Carpes disse...

Adriane, gostei muito do seu texto.
Parabéns!
Também, tentei enviar p/ vc - via mensagem facebook, minha homenagem aos escritores: "Mafalda". Não consegui. Partilho então, meu carinho:

PARABÉNS ESCRITORES...
MUITO ☼ NAS IDEIAS!

;)