terça-feira, 11 de dezembro de 2012

NESTE DOMINGO VOU ASSISTIR BALLET


Ballet de repertório: O Corsário


Através do blog Bergamota Cultural fui convidada para assistir uma remontagem do Ballet de Repertório Clássico intitulado “O Corsário”, evento que ocorrerá no Teatro Municipal do Rio Grande, neste domingo, às 21h. Os ingressos custam R$30,00, o que não é tão caro assim tendo em vista o tipo de espetáculo.
Como ando precisando aumentar meu nível cultural, expandir minhas fronteiras da imaginação e, tendo em vista que nunca tive a oportunidade de assistir ao vivo um espetáculo desta espécie, decidi prestigiar o evento, que foi adaptado por Eugênia Campani Klinger, sendo que as músicas que servirão para a apresentação do corpo de ballet são do compositor Adolphe Adam (1803 – 1856), como consta da informação disponibilizada no Bergamota Cultural, blog este que tem me deixado bastante satisfeita com as informações que são postadas ali sobre os eventos culturais que ocorrem na city.
Este ballet é inspirado em obra do escritor inglês Lord Byron, o que quer dizer que deve ser um espetáculo cheio de aventuras, drama, lágrimas e romance, pois como se sabe Byron foi o precursor do romantismo na Inglaterra. Acredito, portanto, que, para aqueles que curtem literatura clássica e ultrarromântica a remontagem deste ballet promete. Após assistir o show, e embora não sendo conhecedora do ballet, aqui irei postar minhas impressões sobre a proposta apresentada nesta encenação.
No entanto, eu fiquei me perguntando sobre o que seria um Ballet de Repertório Clássico. De fato, curiosa por natureza e feliz por saber que nada sei, lá fui eu pesquisar o que seria esta espécie de encenação de dança.
A definição mais simples que encontrei foi a constante da famosa, embora nem sempre exata, Wikipedia, página de informações gerais muito conhecida, estilo enciclopédia, no cyberespaço.
Segundo essa fonte de pesquisa um Ballet de Repertório Clássico é aquele que representa, através da dança, da música e até da mímica, uma determinada história, necessitando por isso de um maior número de dançarinos e coreografias. Além dessas coreografias precisarem ser adaptadas para contarem a história pretendida, é necessário, ainda, executar um conjunto de passos que deve ser seguido minuciosamente, ou seja, certos passos são obrigatórios nesta espécie de ballet(que poderão ser adaptadas pelo coreógrafo, desde que citadas).

São exemplos deste estilo de ballet, além do que será representado domingo no nosso Teatro Municipal, os ballet’s “O Lago dos Cisnes”, “O Quebra Nozes”, Copéllia, entre outros.
O Ballet de Repertório que será representado, como eu já disse será “O Corsário”, baseado em poema de Lord Byron. A princípio, esta obra teve três adaptações para o ballet que não conseguiram despertar maiores interesses.
Somente a última, composta pelo músico Adolphe Adam, coreografado pelo famoso  Premier Maître de Ballet Joseph Mazilier, que contratou o dramaturgo Jules-Henri Vernoy de Saint-Georges para elaborar o libreto do ballet (livro que narra a história para os expectadores), granjeou destaque e levou o então Imperador francês Napoleão III e sua esposa a se tornarem admiradores e produtores de novas adaptações da literatura para o ballet.
Bem, esta é uma singela pesquisa sobre o que é esse tal Ballet de Repertório Clássico, além de um breve resumo de que como o ballet “O Corsário” se tornou famoso. Espero que tenham gostado.
Ah! E não me perguntem quais os passos devem ser seguidos minuciosamente porque não descobri, e mesmo que tivesse descoberto, eu não contaria. Afinal, é preciso deixar a curiosidade aumentar para que o público se faça presente e possa se emocionar com o espetáculo.
Então, domingo eu vou ao ballet. Quem sabe, vocês leitores também se animem e compareçam para prestigiar algo que, embora criado por um estrangeiro, é fruto do trabalho de dançarinos locais.

2 comentários:

Dalva Molina Mansano disse...

Fiquei muito curiosa e senti vontade de também assistir a esse espetáculo. Quem sabe... Adorei mais uma vez ler um texto seu! Grande abraço, Adriane!

adriane disse...

Pois é Dalva Molina Mansano, estou ansiosa pelo espetáculo.
Fico feliz que meu texto tenha conseguido te deixar curiosa, pois objetiva divulgar a cultura aqui em minha cidade.
Obrigada pela visita e comentário, apesar de não ser especialista amo escrever sobre arte e quando alguém me elogia neste sentido, sinto que alcancei meu objetivo.
Abraços, minha cara.